sábado, 17 de abril de 2010

DANIELZINHO E O SONO


DOS JORNAIS
20/05/2000

"Danielzinho e o Sono" estréia amanhã




O grupo teatral Companhia das Artes Dramáticas (CAD) estréia amanhã o seu 16°espetáculo, "Danielzinho e o Sono", cujo texto é de autoria do paulistano Ricardo Gouveia, que concebeu a obra em 1959, O texto foi encenado pela primeira vez no programa "Teatro da Juventude" (um programa educacional voltado para a criança e o adolescente, exibido na extinta TV Tupi, nas tardes de domingo), no dia 18 de outubro do mesmo ano, sob a direção de Júlio Gouveia, pai do autor. Esta nova versão leva a assinatura de Júlio Carrara na direção.
Em 1962, a obra recebeu o Prêmio Revista "Divulgação" como melhor texto. Logo em seguida, em 1965, o texto foi publicado na revista "Teatro da Juventude", uma publicação da Secretaria de Estado da Cultura, através da Comissão Estadual de Teatro, com a supervisão de Tatiana Belinky, revista esta que existiu no período de 1965 a 1972. Só em 1995, á revista renasceu e trouxe de volta todos os textos de cunho educacional-formativo.
Não é a primeira vez que o grupo CAD encena um texto desta publicação. No ano passado, o grupo foi responsável pelas montagens de "A Sopa de Pedra" e "Quem Casa, Quer Casa. Ou não?", ambas de Tatiana Belinky; "O Urso", de Anton Tchekhov, além de "Fofo, Meu Amor" e "Cupido & Stanislavski", de Ricardo Gouveia.
Numa apresentação de "Fofo, Meu Amor", na Oficina Cultural "Grande Otelo", em Sorocaba, Ricardo presenteou o grupo com mais cinco textos. O interesse do diretor imediatamente caiu sobre "Danielzinho...". Segundo Júlio, "Danielzinho..." é simples, ingênuo e despretensioso. "Ele (e todas as obras do autor) foge radicalmente de todos os espetáculos apresentados para crianças. Enquanto que algumas obras têm o caráter apenas comercial, "Danielzinho" é uma peça de caráter educacional, que faz a criança raciocinar e desvendar o seu universo. É muito ruim uma criança querer imitar um adulto. Isso faz com que ela perca uma parte da sua infância, e é lastimável saber que isso ainda está acontecendo, cada vez mais".
O espetáculo conta a história de um garotinho de 10 anos que não consegue dormir, levando seu pai ao desespero. Este, muito nervoso, depois de contar muitas estórias e cantar algumas músicas de ninar, deixa o garoto sozinho em seu quarto. O menino, achando que está sozinho, depara-se com Careteiro, um espírito brincalhão e fiscal do sono, que quer saber o motivo pelo qual o menino não dorme. O garoto acha que o seu sono fugiu. Careteiro decide procurar o sono do menino e leva Danielzinho até a Terra do Sono e ambos vivem uma grande aventura.
Júlio Carrara direcionou o trabalho para o universo "clownesco". Os personagens são palhaços e mostram claramente o que a humanidade tem de ridículo. Este espetáculo faz uma homenagem a todos os nossos grandes palhaços, uma experiência que só foi possível graças ao trabalho do grupo "Parlapatões, Patifes e Paspalhões", que tem realizado urn magnífico trabalho de "clown" em São Paulo. O elenco da montagem é formado pelps atores Júlio Melo, Marcelo Gasparini, Gustavo Proença, Douglas de Camargo, Eliane Ribeiro, Bruna Moscatelli e Hércules Soares.


ESPETÁCULO NA ÍNTEGRA

Um comentário:

  1. Prezado Julio Carrara,
    curti muito o resultado do seu trabalho e gostaria de "montar" Danielzinho e o Sono com os meus alunos do Ensino Médio. Todavia, não estou encontrando o texto. Você pode me ajudar?
    Agradeço.

    ResponderExcluir